Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Kindled Spirits

Não-diário de uma introvertida que encontra refúgio nos livros, especialmente YA, e na escrita.

Kindled Spirits

Não-diário de uma introvertida que encontra refúgio nos livros, especialmente YA, e na escrita.

Livros YA para cada tipo de personalidade extrovertida

Já alguma vez te perguntaste se existe um livro para o teu tipo de personalidade? Analisando todos os tipos Extrovertidos da Tipologia Myers-Briggs, aqui estão 8 livros YA para cada tipo de personalidade extrovertida.

 

ESTP (Extroversão + Sensorialidade + Pensamento + Perceção): A Personalidade Empreendedora. 
 
Since You've Been Gone por Morgan Matson
 

capa do livro Since You've Been Gone

Os ESTP desfrutam de drama, paixão, prazer e amor, adorando ser o centro das atenções. E falando de drama... Emily é tudo o que Sloane não é - está habituada a viver na sua própria concha, e foi a sua melhor amiga Sloane que a fez sair da sua zona de conforto e, francamente, tornou a sua vida muito mais interessante. No entanto, tal como o verão promete ser épico, Sloane desaparece, deixando para trás uma lista de afazeres surpreendentes. Emily tenta fazer todas as coisas invulgares da lista, acabando por ter o verão mais inesperado da sua vida.
 
 
 
ESFP (Extroversão + Sensorialidade + Sentimento + Perceção) A Personalidade do Animador.
 
The Beautiful por Renée Ahdieh
 

capa do livro The Beautiful

The Beautiful é uma nova série que nos trouxe de volta os vampiros. Celine Rousseau foge de Paris para Nova Orleães do século XIX, onde se apaixona pela cidade - e pelos seus perigos. Logo chama a atenção de Sébastien Saint Germain, o líder do grupo vampiro. Mas é apenas quando os cadáveres começam a aparecer que começa o verdadeiro mistério. Os ESFP aborrecem-se facilmente e precisam de uma excitação constante nas suas vidas, mesmo que isso signifique envolver-se em comportamentos de risco. Eles também são ousados e originais, por isso aqui o têm - um livro que promete romance, perigo, segredos, e mistério.
 
 
 
ENFP (Extroversão + Intuição + Sentimento + Perceção): A Personalidade do Militante.
 
À procura de Alaska por John Green
 

capa do livro À Procura de Alaska

Os ENFP são espíritos livres. Vivem para as suas ligações sociais com os outros e são vistos frequentemente como muito populares e amigáveis. Além disso, são altamente emocionais e tendem a repensar as coisas. Ler À Procura de Alaska é como andar numa montanha-russa emocional: a forma como os ENFP gostam. Além disso, as personagens têm traços memoráveis que ficam connosco muito depois de lermos o livro. É uma bela história, cheia de metáforas e imagens que nos fazem pensar sobre o panorama geral da vida.

 

 

ENTP (Extroversão + Intuição + Pensamento + Perceção): A Personalidade do Orador.
 
A Lógica Inexplicável da Minha Vida por Benjamin Alire Sáenz
 

capa do livro A Lógica Inexplicável da Minha Vida

Os oradores prosperam no debate de ideias, questionando tudo e fragmentando argumentos e crenças apenas pelo prazer de o fazer. A Lógica Inexplicável da Minha Vida encaixa perfeitamente neles, pois segue a vida de Sal, que conhecia o seu lugar no mundo com o seu pai gay e a sua família mexicano-americana. Contudo, à medida que uma nova mudança (ir para a faculdade) se aproxima, Sal começa a questionar tudo e percebe que, afinal de contas, não se conhece a si próprio.

 

 

ESFJ (Extroversão + Sensorialidade + Sentimento + Julgamento): A Personalidade do Cônsul.
 
DUFF - A Amiga Feia Gorda por Kody Keplinger
 
 capa do livro DUFF - A Amiga Feia e Gorda

Por falta de uma definição melhor, os ESFJ são populares e socialmente ativos. São os quarterbacks ou chefes de claque que estão mais preocupados com questões práticas e com o seu estatuto social. Esta história passa-se no liceu que, com toda a sua hierarquia e estatuto social, gira em torno de Bianca e quando ela descobre que é a "Amiga Gorda e Feia Designada" do seu grupo. No entanto, os cônsules também são leais e bons a ligar-se aos outros, e este livro é sobre amizade, lealdade e até amor.

 

 

ENFJ (Extroversão + Intuição + Sentimento + Julgamento): A Personalidade Protagonista.
 
O Ódio que Semeias por Angie Thomas
 

capa do livro O Ódio que Semeias

Starr Cater, sendo ela própria uma ENFJ, apelará fortemente a todos os Protagonistas lá fora. Após testemunhar o seu amigo a ser morto pela polícia, ela luta com os seus próprios traumas e sobre dizer a verdade. É realmente uma história coming of age dos nossos dias modernos. Em Starr vemos a ascensão de uma voz que fala por aqueles que não podem, restaurando a nossa fé nas pessoas. E, afinal, os ENFJ são líderes naturais que acreditam firmemente no povo.

 

 

ENTJ (Extroversão + Intuição + Pensamento + Julgamento): A Personalidade de Comandante.
 
Rainha Vermelha por Victoria Aveyard
  

capa do livro Rainha Vermelha

A série Rainha Vermelha é um romance distópico com personagens fortes, algo com que os ENTJ podem facilmente relacionar-se. Adoram um bom desafio e acreditam firmemente que podem alcançar qualquer coisa, o que os torna pensadores estratégicos. Mare Barrow, a protagonista desta história, vê-se enterrada no fundo da corte ardilosa que governa e tiraniza o seu povo e vê-se forçada a agir de certas formas para se manter viva. Num mundo entre Vermelhos e Prateados, a única opção é sobreviver. Será que precisamos de mais razões para vender esta série aos ENTJ?

 

 

ESTJ (Extroversão + Sensorialidade + Pensamento + Julgamento): A Personalidade Executiva.
 
Period Power: A Manifesto for the Menstrual Movement por Nadya Okamoto
 

capa do livro Period Power

Os ESTJ são mais práticos, portanto um livro de não-ficção será a sua praia. Também gostam de criar ordem, sendo extremamente dedicados e excelentes organizadores. Esta é a razão pela qual o livro Period Power: A Manifesto for the Menstrual Movement é a escolha certa para eles. Este livro pretende ser um manifesto, explicando o que é a menstruação, e trazendo à luz os estigmas e os preconceitos. Afinal, os períodos são normais, processos biológicos que não devem ser silenciados, e uma estratégia deve ser posta em prática para estimular a conversa sobre o assunto.

 

"Sempre soubeste o que querias fazer"

Career paths

Fonte: LinkedIn

 

Vi esta imagem publicada pelo LinkedIn e parei para pensar. Para pensar no meu percurso, no percurso de outras pessoas que conheço, e em como ainda há amigos que se encontram completamente perdidos. O meu namorado está a passar por uma dessas fases, e outro dia disse-me: "por que é que não sou como tu, alguém que sempre soube o que quer fazer?". É verdade, sempre soube o que quis fazer, mas o que poucos sabem é que essa certeza mudou várias vezes.

 

Quando somos pequenos, dizem-nos que temos de estudar, que nos faz falta para, mais tarde, termos um bom emprego. Quando chegamos ao secundário, começam as conversas sobre as universidades. Mais uma vez, é-nos dito que, se quisermos singrar na vida, temos de ter um curso superior. Que só assim conseguimos entrar numa empresa e, começando por baixo, conseguimos evoluir para um bom cargo. Eu, como tantos outros, fui na conversa e criei expetativas completamente irrealistas sobre o mundo do trabalho.

 

A verdade é que tudo muda quando saímos da universidade. De canudo na mão e sonhos e expetativas a brilharem nos olhos, recebemos uma bofetada quente na cara assim que pomos o pé no primeiro estágio. De repente, as coisas já não são tão claras, estar sentado em frente a um computador durante 8 ou mais horas por dia é, afinal, algo para o qual não estávamos preparados, já não sabemos o que queremos, e "Deus-me-livre-se-vou-passar-a-fazer-isto-para-o-resto-da-minha-vida". Começam as dúvidas, começamos a ver como a vida é injusta, como o colega que parecia amigo afinal é capaz de nos passar por cima para ter o que quer, como o chefe consegue ser uma autêntica besta.

 

E os sonhos e objetivos cuidadosamente planeados começam a esfumar-se pela janela. Perdemos o foco que nos trouxe até ali, e percebemos que, para mudar o estado deprimente em que nos encontramos, precisamos de mudar o rumo. Muitas vezes, mudar totalmente de área, arriscar fazer coisas novas e coisas que odiamos para, finalmente, encontrar o verdadeiro rumo que devíamos ter seguido logo desde início.

 

Por vezes, esse rumo que já se tornou consistente ao longo de vários anos acaba por perder o seu brilho original e somos confrontados com novas dúvidas. O abrir de uma pequena janela é quanto basta para vermos outra realidade que até ali nem tínhamos sonhado. É o suficiente para mudar tudo outra vez, e começar do zero. E não há nada de mal nisso. Não faz mal mudar duas, três e quatro vezes de rumo. De experimentar 100 coisas diferentes, várias áreas diferentes. De voltar para a escola e estudar outra coisa. Faz tudo parte de um processo a que se chama aprendizagem.

 

Agora, numa altura em que já não há empregos fixos para o resto da vida e que tudo muda a uma velocidade alucinante, ainda faz mais sentido percorrer este caminho turtuoso. Nenhum caminho é linear e bonitinho. Mas essa é a beleza da coisa. Se fosse direto sem nenhuma curva, não aprendíamos rigorosamente nada sobre nós próprios.

 

As pessoas têm opinião para tudo.

pessoa a teclar num computador portátil

As pessoas têm opinião para tudo. Especialmente se for nas redes sociais. É fácil sentar-se atrás do anonimato de um computador e debitar o que achamos, sem consequências. E, mesmo que alguém nos faça frente e responda na mesma moeda, a maioria das pessoas parece gostar de entrar nesse back-and-forth que às vezes até se torna bastante aceso. Do meu lado, não gosto de confrontos, mesmo que eles sejam virtuais. E muito menos apelativa é a ideia de discutir o sexo dos anjos com estranhos. Porque admitamos - a grande maioria destas discussões virtuais públicas é sobre coisas que não interessam nem ao menino Jesus.

Então, o que leva as pessoas a fazer isto?

Ainda assim, acho que o que mais me choca é a ignorância de certas pessoas. Especialmente quando o assunto é política, ou algo generalista da sociedade. Ou seja, "não sei nada do assunto, mas em vez de procurar informar-me sobre isto para depois dizer algo, vou simplesmente lançar a primeira boca que me ocorre só porque estou num país livre e o posso fazer". Tem mesmo de ser assim?

As grandes vantagens de se viver num país livre e democrático é - claro -, a liberdade de expressão, mas também o livre acesso à informação. Então por que é que as pessoas não fazem uso desse acesso? Ah, já sei. Custa muito mais ir pesquisar e mantermo-nos informados, do que simplesmente dizermos o que nos apetece.

«Because the boys watching today will be the men of tomorrow»

Apesar de não ser recente, só agora me deparei com este anúncio da Gillette. Devo dizer que fiquei arrepiada de o ver, e até me chegaram as lágrimas aos olhos. Por uma razão muito simples: parece que foi só agora que, enquanto mulher, vi realmente o primeiro esforço masculino para uma mudança tão desejada.

Não digo que os homens são todos maus e tóxicos, e penso que todas as mulheres conhecem exemplos bem diferentes. No entanto, de uma forma generalizada, todas nós vemos atitudes e comportamentos errados - não apenas no mundo real, mas especialmente nos filmes, séries, televisão, etc. E, só por isso, vale a pena ver esta mudança de mentalidade numa marca notoriamente masculina.

Tudo no anúncio é, na minha opinião, genial: desde o slogan, que passa de "the best a man can get" para "the best men can be" (e a subtil passagem para o plural não passa despercebida), à mensagem poderosa subjacente em voz-off, acompanhada de igualmente imagens marcantes e com as quais nos identificamos. Adoro as referências: o bullying, o assédio sexual, o quase-ditado "boys will be boys", o ambiente de trabalho tóxico onde uma mulher se insere no meio de homens.

A verdade é que vivemos num mundo onde muitas coisas más acontecem, e pouco ou nada se tem feito para mudá-las. Não concordamos com muitas coisas, mas é mais fácil ficar em silêncio do que dizer algo, especialmente se temos de confrontar os nossos pares ou o nosso género. Expressões como "boys will be boys" só servem para menosprezar e descartar a responsabilidade de tomar uma atitude e dizer algo. E é assim que se perpetua uma mentalidade retrógrada e misógina.

Fico contente por começarmos a ver homens que, finalmente, fincam o pé e tomam uma posição: a de não ficar mais em silêncio e compactuar com os antigos estereótipos.

8 personagens introvertidas de acordo com a Tipologia Myers-Briggs

De acordo com o método Myers-Briggs, existem oito tipos de personalidade introvertidas. À medida que lemos os nossos romances e séries favoritos, descobrimos personagens fictícios com as suas próprias personalidades. Aqui estão oito personagens introvertidas de acordo com o Indicador tipológico Myers-Briggs.
 
 
 
Hermione Granger, Harry Potter
ISTJ (Introversão + Sensorialidade + Pensamento + Julgamento) A Personalidade Logística
 

Hermione Granger

Hermione Granger, da série Harry Potter, é conhecida pela sua integridade, lógica prática e dedicação incansável ao dever. Tal como os ISTJ na escala Myers-Briggs. Ela gosta de responsabilidades – um pouco demais – e orgulha-se do trabalho que realiza. Uma bibliófila desde o início, Hermione usou a lógica em tudo o que fez, inclusive nas suas aventuras com Harry e Ron.
 
O ISTJ analisa, verifica os seus factos e chega a conclusões práticas, com cursos de ação adequados. Além disso, eles esperam que outros compreendam as situações ao mesmo tempo, e não suportam aqueles que não tomam medidas. Esta parece ser a razão pela qual Hermione e Ron estavam sempre a dar cabeçadas um com o outro.
 
No entanto, este traço de personalidade em pura lógica fê-la parecer pouco amistosa e inflexível. A primeira impressão que Harry e Ron tiveram dela foi má – na verdade, ela era o chico-esperto comum que todos nós já conhecemos em algum ponto das nossas vidas. Foi apenas quando ela assumiu a culpa por Harry e Ron após o episódio com o troll que os três se tornaram amigos. Um dos muitos exemplos que nos mostram a sua integridade e lealdade.
 
 
 
Samwise Gamgee, O Senhor dos Anéis
ISFJ (Introversão + Sensorialidade + Sentimento + Julgamento) A Personalidade Defensora
 

Samwise Gamgee

Todos nós conhecemos e amamos Samwise Gamgee de O Senhor dos Anéis. Ele é o leal companheiro e melhor amigo de Frodo. Ao longo da sua viagem juntos, Sam salvou a vida de Frodo mais de uma vez, e acompanhou-o até ao Monte da Perdição para destruir o Anel. Afinal, os Defensores têm o mais profundo desejo de fazer o bem, e são os mais leais dos amigos. Têm pessoas bem desenvolvidas e relações sociais sólidas, o que faz todo o sentido quando se trata da amizade de Sam e Frodo. Sam nunca abandona Frodo e leva a sua missão a sério até ao fim.

Sam é bondoso, altruísta, e nunca viu o seu trabalho de acompanhamento e proteção de Frodo como algo puramente obrigatório. Ele enfrentou a missão com generosidade e humildade, também uma característica da personalidade ISFJ. Os Defensores têm esta capacidade de ligação com os outros a um nível íntimo como nenhum outro entre os introvertidos. Assim, é claro que a relação de Sam e Frodo evolui para um forte laço de amor e confiança. Sam é, na realidade, o amigo que todos nós gostaríamos de ter.
 
 
 
Jon Snow, Guerra dos Tronos
INFJ (Introversão + Intuição + Sentimento + Julgamento) A Personalidade do Advogado
 

Jon Snow

Os Advogados fazem parte do grupo da Função Diplomata dentro da escala Myers-Briggs. Eles têm um forte sentido de idealismo e moralidade, muito semelhante a Jon Snow, da Guerra dos Tronos. Um exemplo é a sua recusa em deitar-se na cama com prostitutas ou raparigas aleatórias, porque não queria ser pai de um bastardo como ele. Além disso, viver e ser criado com a família Stark deu-lhe uma clara bússola moral e um forte sentido de honra.

Jon Snow vê o seu compromisso com a Patrulha da Noite como uma coisa honrosa, um dever que deve cumprir para sempre. Quando ele percebe que Westeros deve unir-se aos selvagens para sobreviver contra os Caminhantes Brancos, ele vê o panorama geral e tenta - e morre, literalmente - salvar o mundo. É o que se passa com os Advogados: apesar de falarem baixo, as suas opiniões são muito fortes e lutarão incansavelmente por uma ideia em que acreditam.
 
 
 
Katniss Everdeen, Os Jogos da Fome
INTJ (Introversão + Intuição + Pensamento + Julgamento) A Personalidade do Arquiteto
 

Katniss Everdeen

A Personalidade do Arquiteto é um dos tipos de personalidade mais raros e estrategicamente mais capazes. Mas podemos dizer que Katniss Everdeen é estratégica ao ponto de avaliar táticas e ultrapassar as pessoas que a rodeiam para manter o controlo? Acho que podemos dizer que sim. Dos obstáculos que lhe foram colocados e do seu difícil passado no Distrito 12, Katniss tornou-se uma jovem mulher forte e independente, com instintos de sobrevivência aguçados. Quando se voluntariou para os Jogos da Fome, mostrou ser uma lutadora ferozmente determinada e engenhosa que, embora sendo contra os Jogos, era capaz de tudo para sobreviver.

Ao longo de todo o processo antes dos Jogos da Fome, depressa descobrimos que Katniss não tinha a capacidade de socializar ou de agir em frente às câmaras. E os INTJ tendem a ver muitas convenções sociais como estúpidas. Além disso, as regras, limitações e tradições são estrangeiras para os Arquitetos – algo que todos nós podemos ver em Katniss. Ela questiona tudo sobre a sua sociedade, e está sempre em constante desacordo com as figuras de autoridade.

Como pessoa engenhosa, Katniss é dotada de observações perspicazes, ideias originais e lógica formidável, coisas que fazem dela a face da revolução. Todas estas características definidoras permitem-lhe impulsionar a mudança através da sua força de vontade, e assim galvanizar multidões contra um inimigo comum.
 
 
 
Lisbeth Salander, série Millennium
ISTP (Introversão + Sensorialidade + Pensamento + Perceção) A Personalidade Virtuosa
 

Lisbeth Salander 

Uma vez que as mulheres Virtuosas são raras, os papéis de género projetados pela sociedade são um mau ajuste para elas – e a primeira coisa que vem à mente sobre Lisbeth Salander é a sua figura e comportamento Maria-rapaz. O que define os ISTP é a sua imprevisibilidade e a sua curiosidade. Eles são criadores naturais, o que significa que estão constantemente a passar de projeto para projeto, pondo as mãos à obra. Isto enquadra-se perfeitamente na natureza de Lisbeth Salander. Ela não era capaz de se encaixar num local de trabalho comum e regular, e ganhava a vida através de trabalhos freelance. É uma hacker habilidosa, e aprende com o seu ambiente à medida que se desloca.
 
Embora muito antissocial (talvez devido à sua aparente síndrome de Asperger), confia em Mikael Blomkvist e ajuda-o a resolver o mistério que envolve o desaparecimento de Harriet Vanger. Ela nem sequer se importa que Mikael entre no seu espaço, desde que ele não interfira com os seus princípios e liberdade. 
No geral, Lisbeth Salander é imprevisível e espontânea, calma e muito reservada. Ela é de facto bastante enigmática – como muitos Virtuosos por aí. 

 

 

Celie, A Cor Púrpura
ISFP (Introversão + Sensorialidade + Sentimento + Perceção) A Personalidade Aventureira

Celie

A Celie é, na sua maioria, uma vítima. Os seus anos de abuso duradouro tornaram-na passiva e solitária – ela pensa que é melhor ficar em silêncio para sobreviver do que ripostar e arriscar-se a não sobreviver. Apesar de tudo isto, vemos Celie transformar-se. Ela cuida de Shug e torna-a saudável novamente, e surge um laço de amor entre as duas. É então que Celie começa a aperceber-se do seu amor-próprio, e torna-se uma mulher independente e forte. Todas as qualidades de uma personalidade Aventureira.


Além disso, Celie mostra-se disposta a defender as pessoas que ama. Quando ela se sacrifica para salvar a sua irmã, Nettie, do abuso do seu pai; e quando ela cospe na água pertencente ao pai do Sr. __ (só porque ele criticou Shug). Sempre que as pessoas maltratam os seus entes queridos, Celie fica furiosa. De facto, os ISFP são apaixonados e muito sensíveis às emoções dos outros.


Os Aventureiros também usam a criatividade e a perspicácia para criar novas ideias ousadas. Celie torna a sua costura num negócio lucrativo, utilizando-o como uma forma de autoexpressão e criatividade.

 

Lara Jean, A Todos os Rapazes que Amei
INFP (Introversão + Intuição + Sentimento + Perceção) A Personalidade do Mediador

Lara Jean

Lara Jean apaixona-se facilmente. Ela é uma verdadeira sonhadora e idealista, tal como a personalidade INFP. Ela romantiza a ideia de amor, apesar de nunca ter tido um namorado. E em vez de seguir a sua felicidade, agindo sobre quem ama, escreve cartas aos seus interesses amorosos, guardando as cartas e nunca tendo a intenção que eles leiam as suas palavras. Isto é que é uma pessoa introvertida e tímida!


Ela também guarda para si todas as suas emoções, tanto que a sua irmã Margot nem sequer faz ideia de que ela está apaixonada por Josh (o namorado da sua irmã). Lara está também à procura de formas para melhorar as coisas, e olha para a sua irmã mais velha como um modelo a seguir. De facto, ela tem tanto medo de desapontar Margot, que tenta encaixar-se no seu papel quando esta parte para a Escócia. Lara Jean é vista como calma, reservada e até tímida, no entanto, mostra uma verdadeira paixão mais tarde, quando se apaixona por Peter e discute com Margot sobre Josh e os seus papéis na família.

 

Nick Carraway, O Grande Gatsby
INTP (Introversão + Intuição + Pensamento + Perceção) A Personalidade Lógica

Nick Carraway

Nick Carraway é o narrador desta história e, tal como diz desde cedo, considera-se tolerante, de mente aberta, calado, e um bom ouvinte. Nas normas e tradições sociais, os Lógicos são normalmente bastante liberais, uma das coisas que vemos em Nick, que se sente atraído pelo estilo de vida acelerado e divertido de Nova Iorque, e parece gostar de estar perto das pessoas ricas e descuidadas que festejam em casa de Gatsby.


Os INTP são também honestos e diretos, qualidades de que Nick Carraway fala orgulhosamente quando se refere a si próprio. Contudo, isso não significa que ele seja muito simpático. De facto, Nick pode ser educado e fácil de se dar bem com os outros, mas diz o que tem a dizer, e até parece ser muito julgador. Afinal de contas, os Lógicos não são naturalmente sensíveis, mas podem, no entanto, ser incrivelmente devotados.

 

8 personagens extrovertidas de acordo com a Tipologia Myers-Briggs

De acordo com o método Myers-Briggs, existem oito tipos de personalidade extrovertida. À medida que lemos os nossos romances e séries favoritos, descobrimos personagens fictícios com as suas próprias personalidades.  Portanto, aqui estão oito personagens extrovertidas de acordo com o Indicador tipológico Myers-Briggs.
 
 
 
Lord Voldemort, Harry Potter
ENTJ (Extroversão + Intuição + Pensamento + Julgamento) A Personalidade de Comandante
 

Lord Voldemort

Os ENTJ são líderes naturais, projetam tal autoridade que as multidões se reúnem atrás deles para alcançar um objetivo comum. Mas este impulso e determinação podem ser usados de forma egoísta, manipulando outros apenas para atingir os fins necessários. É isso que Lord Voldemort faz. Ele é dominante e um pensador estratégico – expõe os seus planos cuidadosa e metodicamente, e é orientado para a ação.
 
Além disso, os Comandantes adoram um desafio (e Voldemort leva a perseguição de Harry Potter como um verdadeiro desafio), e tornam-se implacáveis e impiedosos quando se decidem a isso. De facto, Voldemort passa a respeitar Harry Potter, visto que o vê como alguém que o consegue enfrentar e agir de forma igual a si próprio. São verdadeiros némesis.
 
Para os ENTJ, as demonstrações emocionais são demonstrações de fraqueza, o que os torna frios e distantes. São também teimosos, intolerantes, impacientes e arrogantes devido ao seu sentido de superioridade. A sério, não há como negar tudo isto quando se trata de Voldemort.
 
 
 
Augustus Waters, A Culpa é das Estrelas
ENTP (Extroversão + Intuição + Pensamento + Perceção) A Personalidade do Orador
 

Augustus Waters

Os ENTP são chamados Oradores, e adoram argumentar e debater ideias. É isto que atrai Hazel a Gus – as longas conversas sobre tudo, os símbolos e metáforas que ele coloca no seu discurso. Além disso, os Oradores não gostam de coisas práticas, mas antes prosperam no que poderia ser. Augustus Waters é tudo isto. Ele concentra-se nas possibilidades teóricas, procurando um significado mais profundo em tudo, especialmente no livro favorito de Hazel.
 
Sabemos que Gus tem uma extensa base de conhecimentos, algo que demonstra nos seus argumentos com a Hazel. Ele tem uma mente flexível, mudando de ideia em ideia sem esforço, e encontrando soluções para os problemas. Também é carismático – tem jeito com as palavras e uma sagacidade que lhe é característica.
 
 
 
Starr Carter, The Hate U Give
ENFJ (Extroversão + Intuição + Sentimento + Julgamento) A Personalidade Protagonista
 

Starr Carter

Starr Carter é honesta, forte, autêntica e resiliente – mesmo quando não pensa que o é. Os ENFJ são os chamados Protagonistas, simplesmente porque irradiam autenticidade e genuinidade, qualidades que os tornam inspiradores para os outros. Embora tenha medo de dizer a verdade no início, Starr desenvolve-se nesta jovem mulher forte e confiante, capaz de falar por si e pelos outros, e capaz de galvanizar multidões com as suas palavras.
 
Ela preocupa-se genuinamente com quem ama, e é verdadeiramente altruísta. Na verdade, é isso que a faz decidir dizer a verdade, independentemente das consequências. Vemos esta decisão como um processo ao longo do livro, o que pode ser explicado por uma característica principal sobre os ENFJ: eles lutam para tomar decisões difíceis. Os Protagonistas podem ficar paralisados quando apanhados entre duas escolhas difíceis, porque imaginam todas as consequências das suas ações, especialmente se houver um elemento humanitário envolvido.
 
 
 
Peeta Mellark, Os Jogos da Fome
ENFP (Extroversão + Intuição + Sentimento + Perceção) A Personalidade do Militante
 

Peeta Mellark 

Os Militantes são encantadores, independentes, enérgicos e compassivos. Quando falamos de Peeta de Os Jogos da Fome, vemos tudo isso. Ele ganha a empatia do público com as suas excelentes capacidades de comunicação, e todos adoram Peeta – ele é acessível, interessante e excitante, com um verdadeiro espírito amigável e uma disposição empática. 
 
Quando comparado com Katniss, Peeta parece ser exatamente o oposto dela. Ela é uma sobrevivente, mas ele tem poucas capacidades práticas. Afinal de contas, os dois vêm de mundos diferentes. E enquanto Katniss é reservada e desligada, Peeta é emocional e está em contacto com o seu lado delicado. Os ENFP tendem mesmo a ser altamente emocionais, o que pode resultar em explosões contraproducentes.
 
 
 
Riley Sinclair, Between a Rock and a Hot Mess
ESTJ (Extroversão + Sensorialidade + Pensamento + Julgamento) A Personalidade Executiva
 

capa do livro Between a Rock and a Hot Mess

Riley Sinclair, de Between a Rock and a Hot Mess, de Phyllis Bourne, é uma desbocada. Os ESTJ são diretos e honestos, e valorizam factos e informação sobre ideias ou opiniões. São também excelentes organizadores, o que os torna grandes líderes. Esta descrição encaixa em Riley, uma chefe do setor da construção. Além disso, ela adora ser a chefe da Sinclair Construction.

Os ESTJ são também conhecidos pela sua dificuldade em expressar emoções. Podemos dizer que a Riley tem esta fraqueza: ela sonha com o seu "Tipo Perfeito", Ian, mas não consegue aproximar-se dele. É necessária a ação de salvá-lo de um assaltante para que os dois entrem em contacto.
 
 
 
Cersei Lannister, Guerra dos Tronos
ESFJ (Extroversão + Sensorialidade + Sentimento + Julgamento) A Personalidade do Cônsul
 

Cersei Lannister

Os ESFJ têm um forte sentido do dever. Cersei ganha os seus valores do seu pai, e faz o melhor que pode do seu papel de soberana. Os Cônsules são também muito leais, e Cersei não é exceção. Ela é muito protetora dos seus filhos, embora corrupta à sua maneira.

Este tipo de personalidade respeita a hierarquia, e Cersei também o faz. Ela posiciona-se com alguma autoridade, o que lhe permite manter as coisas estáveis e sob o seu controlo. No entanto, é vingativa e age por sentimento, desejando ser mais como o seu pai, uma cabeça fria. Outro aspeto sobre os ESFJ é a sua preocupação com o seu estatuto social e influência – um elemento mais evidente na Cersei, que é ambiciosa e sedenta de poder. Ela também não se dá bem com a desobediência ou o desacordo, confundindo-os com rebeldia. De facto, os Cônsules são vulneráveis à crítica.
 
 
 
D'Artagnan, Os Três Mosqueteiros
ESTP (Extroversão + Sensorialidade + Pensamento + Perceção) A Personalidade Empreendedora
 

D'Artagnan

De acordo com 16 personalities, "os Empreendedores são o tipo de personalidade mais simpática para fazer um estilo de vida de comportamento arriscado". Inicialmente, D'Artagnan é imprudente e insolente, envolvendo-se num duelo com o Comte de Rochefort e os três mosqueteiros. Ele também é desafiador - os Empreendedores são orientados para a ação e são práticos, não gostam de ser encaixotados.

Além disso, os ESTP são ousados, racionais, práticos e percetivos, qualidades que D'Artagnan mostra. Ele é corajoso, astuto e inteligente, nunca falhando perante qualquer dificuldade, além de ser destemido.
 
 
 
Lydia Bennet, Orgulho e Preconceito
ESFP (Extroversão + Sensorialidade + Sentimento + Perceção) A Personalidade do Animador
 

Lydia Bennet

No mundo literário, todos conhecem Lydia Bennet. Ela é a irmã mais nova da família Bennet que foge com o Sr. Wickham, num impulso totalmente inconsciente, feito no momento. De facto, os ESFP são maus planeadores a longo prazo – para eles, a vida vem como vem, e não há tempo para pensar nas consequências. O que nos leva a outra característica: os ESFP são ousados e não retêm nada. Eles querem experimentar tudo. Lydia até ao fim, hum?

Este tipo de personalidade é chamado de Personalidade do Animador, e não é em vão. De facto, Lydia adora estar na ribalta, absorvendo a atenção para onde quer que vá. Ela adora festas, são a sua zona de conforto, pois encontra nelas o local perfeito para conversar, dançar e namoriscar. Sendo a irmã mais nova, Lydia também é mimada. Está tão concentrada nos prazeres imediatos que esquece os seus deveres e é simplesmente irresponsável. No entanto, os ESFP têm um sentido estético forte, algo que também podemos ver em Lydia: ela é vaidosa e adora comprar roupa nova e acessórios.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mais visitados

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub